Entrevista

Andrea é enfermeira responsável técnica na UBS Jardim Caiçara, na zona sul e trabalha no CEJAM desde 2002. Presente desde a implantação da Unidade na região, em 2002, ela fala um pouco sobre as histórias que marcaram sua carreira ao longo desses anos.

Antes da implantação da UBS pelo CEJAM na região, como era a oferta de saúde?

Antigamente, aqui era um casarão que foi adaptado para a UBS. As pessoas tinham que ir até o Jardim Ângela, única unidade que havia aqui perto. Depois da implantação da unidade ficou mais fácil para os moradores do bairro, que não precisavam se deslocar para outra região. No início veio muita gente, a ponto de precisarmos explicar que aqui não era um Pronto Socorro, mas uma unidade básica de saúde. Aos poucos fomos conscientizando as pessoas e explicando como funcionaria o novo equipamento.

Para a população foi um grande benefício então...

Sim. No começo muitos não entendiam porque não podiam vir na unidade em qualquer horário para serem atendidas. Nós tínhamos que explicar o que era o Programa Saúde da Família, que o agente comunitário era a ponte entre eles e a unidade, que seriam feitas visitas, o agendamento e os demais procedimentos.

O que mais mudou na saúde da população local com a chegada da unidade?

Acredito que o atendimento aos acamados foi uma grande mudança. Eles tinham que ir até uma unidade de saúde para serem atendidos, mas isso mudou com as visitas domiciliares que nós passamos a realizar. O usuário recebe o atendimento pela equipe de saúde em casa, algo que ele não tinha antes. Isso é fantástico.

Ao longo desses anos trabalhando no CEJAM, o que mais te marcou?

Acompanhar a melhora da saúde dos usuários. Temos usuários que sofriam de hipertensão, mas hoje têm a pressão controlada, por exemplo. Além disso, tem o pré-natal que você faz e a criança hoje já está com10 anos. Participar desse processo desde o nascimento e acompanhar o desenvolvimento da criança é muito gratificante.

O saldo desses 13 anos de CEJAM é positivo?

Sim. Participar desta história desde o início é algo que me deixa feliz. E também porque aqui é um lugar que você aprende muito e cresce. O CEJAM te dá essa oportunidade para crescer. Muitos colaboradores começaram como agentes comunitários e hoje são enfermeiros. Todo dia é um desafio, situações novas e isso faz com que você cresça. Essa motivação é fundamental.