Seu email foi confirmado com sucesso!

Para ativar a senha de seu email, favor abrir um chamado no CAS informando a chave #.
Em alguns segundos, você será direcionado para a criação de sua assinatura digital.

X

Sua assinatura digital foi criada com sucesso!

Lhe foi enviado um email com a sua assinatura, juntamente com as instruções para a sua utilização.

Encontro discute desafios e estratégias para o combate às hepatites virais

A Comunicação Institucional CEJAM participou nesta terça-feira (24/07) da Jornada do Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais, organizada pelo Programa Estadual de Hepatites Virais de SP. O evento reuniu profissionais das áreas clínica e de saúde pública para um amplo debate sobre questões da assistência, prevenção, vigilância epidemiológica e ações que estão sendo realizadas para combater o avanço das hepatites.

A programação abordou temas como os desafios para a eliminação das hepatites virais B e C no Brasil, atualizações do Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas, desafios na prevenção, diagnóstico, acompanhamento, tratamento e controle da hepatite B, além de apresentações e discussões sobre vacinação e monitoramento das doenças.

Sirlene Caminada, coordenadora do Programa Estadual de Hepatites Virais, abriu o encontro destacando a importância de levar mais informações à população sobre as hepatites. “A Organização Mundial da Saúde considera as hepatites virais um desafio mundial e estabelece meta de eliminação das doenças até 2030. Para vencermos isto, é necessário todo um conjunto de ações e de pessoas: viabilizar as discussões sobre as doenças é dever de todos”, disse.

Dentre as intervenções essenciais para eliminação das hepatites virais foram destacadas a vacinação da hepatite B (indicada ao nascer e para todas as faixas etárias); a precaução no manejo com sangue, injeções e procedimentos cirúrgicos; prevenção da transmissão vertical do vírus HBV; tratamento de todos os casos crônicos de hepatite B e C. “Somadas a estas questões, são fundamentais estratégias como a simplificação do diagnóstico e a avaliação de novas tecnologias”, afirmou Sirlene.

 

HEPATITE C

Estima-se que cerca de 71 milhões de pessoas estejam infectadas pelo vírus da hepatite C (HCV) em todo o mundo e que cerca de 400 mil vão a óbito todo ano, devido a complicações desta doença. O Ministério da Saúde estima que 0,7% da população, entre 15 e 69 anos, no Brasil teve contato com o HCV, que corresponde a aproximadamente 1 milhão de pessoas. Desses, estima-se que quase 700.000 pessoas tenham a doença e necessitam de acompanhamento e tratamento.

Em maio deste ano, o Ministério da Saúde apresentou uma proposta para reforçar as ações de enfrentamento da doença no país, estabelecendo estratégias específicas de prevenção, diagnóstico e tratamento. As ações incluem o estabelecimento de linha de cuidado no atendimento às hepatites virais, busca ativa de casos previamente diagnosticados e não vinculados aos serviços de saúde e a divulgações de informações atualizadas sobre as hepatites virais.

“Para a eliminação da hepatite C no Brasil é fundamental estabelecer parcerias e políticas adequadas, buscar sustentabilidade dos programas e utilizar os recursos disponíveis”, ressaltou Maria Cássia Jacintho, coordenadora do Grupo de Hepatites Virais do Hospital das Clínicas da FMUSP.

Quer saber mais sobre as hepatites virais? Confira na TV CEJAM:

- Hepatite A: https://goo.gl/a9atuv

- Hepatites B e D: https://goo.gl/Qev2dS

- Hepatite C: https://goo.gl/LYaTQq


Data de Publicação: 26/07/2018

Fonte: Assessoria de Imprensa CEJAM