Seu email foi confirmado com sucesso!

Para ativar a senha de seu email, favor abrir um chamado no CAS informando a chave #.
Em alguns segundos, você será direcionado para a criação de sua assinatura digital.

X

Sua assinatura digital foi criada com sucesso!

Lhe foi enviado um email com a sua assinatura, juntamente com as instruções para a sua utilização.

Zona Sul amplia oferta de referência para profilaxia da raiva humana

A partir desta segunda-feira (6), a Coordenadoria Regional de Saúde (CRS) Sul passa a contar com mais uma referência para atendimento às pessoas que tenham indicação de tratamento profilático contra a raiva humana: a AMA 24h Capão Redondo, no Campo Limpo. 

A ampliação da oferta atende à reinvindicação feita pela população durante a realização do Fórum de Saúde que aconteceu no Auditório da Prefeitura Regional do Campo Limpo no último dia 28 de junho para discutir a organização da rede de saúde local, conforme recomendação feita pelo Ministério Público de São Paulo (MP-SP).

“Esses momentos de escuta com a população são fundamentais, pois eles trazem demandas do território que, para eles, são importantes e que às vezes são de simples solução, como neste caso específico. Em um mês, já conseguimos fazer as adequações necessárias na unidade e implantar mais esse polo de vacinação na região”, afirmou Sandra Maria Sabino Fonseca, CRS Sul. 

A cidade de São Paulo atende em média 22 mil pessoas por ano que sofreram agressões por animais potencialmente transmissores do vírus da raiva. Esse número é subnotificado, pois nem todas as pessoas agredidas buscam o atendimento médico.

A raiva humana não tem tratamento e, sim, profilaxia por meio do uso de soro antirrábico humano e vacina antirrábica humana. As vítimas são encaminhadas para a profilaxia pós-exposição ou após agressão. A vacina não tem contraindicação, sendo que indivíduos imunodeprimidos, gestantes e mulheres em lactação podem receber o tratamento. 

No município de São Paulo, a lista dos demais dos serviços de Referência do Soro e Vacinação Antirrábica - Pós Exposição pode ser acessada pelo link: http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/upload/saude/Referencia%20Pos%20expos%20modificada%2007_06.pdf 

Área de raiva controlada

O município de São Paulo é considerado área de raiva (canina e felina) controlada, sendo que o último caso de raiva humana foi notificado em 1981. Também não há casos de cães ou gatos com a doença no município - o último registro cuja transmissão foi por outro cão ocorreu em 1983 e em 2011 houve um episódio cuja transmissão foi por morcego. 
A vacinação contra a raiva para cães e gatos é oferecida no município em campanha anual realizada com postos volantes durante um período determinado e durante todo o ano em 13 postos fixos localizados nas Unidades de Vigilância em Saúde que oferecem a vacinação gratuita de rotina nos serviços.

Em 2017, foram vacinados contra a raiva 700.871 cães e 307.894 gatos nas diferentes ações de vacinação, incluindo a campanha de vacinação. Vale ressaltar que as vacinas são adquiridas pelo Ministério da Saúde e repassadas aos municípios via Estado. Além disso, o órgão federal é que define o cronograma da campanha. 

Em caso de acidentes por mordedura ou arranhadura de cães e gatos:

1. Lavar o ferimento com água e sabão e procure a unidade de saúde mais próxima de sua residência ou de onde ocorreu o acidente;
2. Identifique o animal agressor e seu proprietário, quando possível; 
3. Caso o animal não tenha dono, desapareça, adoeça ou morra, procure imediatamente orientação com a unidade de saúde mais próxima; 
4. Para maiores informações de como prevenir agressões por cães e gatos consulte o Manual de Prevenção contra Agressão por Cães e Gatos .

Serviço:
AMA Capão Redondo
Av. Comendador Sant'ana, 774 – Capão Redondo (Campo Limpo) – zona Sul


Data de Publicação: 06/08/2018

Fonte: Comunicação Prefeitura de São Paulo