Seu email foi confirmado com sucesso!

Para ativar a senha de seu email, favor abrir um chamado no CAS informando a chave #.
Em alguns segundos, você será direcionado para a criação de sua assinatura digital.

X

Sua assinatura digital foi criada com sucesso!

Lhe foi enviado um email com a sua assinatura, juntamente com as instruções para a sua utilização.

Ataques de escorpião: PAVS CEJAM promove ações de prevenção e conscientização na zona sul

Nos últimos dias, o aumento no número de ataques de escorpião no Brasil vem gerando medo e preocupação em muitas famílias. Não à toa: se em 2010 o país registrou pouco mais de 52 mil casos de acidentes escorpiônicos, segundo dados do Ministério da Saúde, somente até setembro deste ano esse número saltou para mais de 90 mil casos notificados.

O escorpião amarelo é o maior responsável pelos ataques ao redor do país, especialmente em cidades do interior. Por meio de um ferrão, o animal peçonhento injeta veneno na corrente sanguínea, geralmente pelos pés ou mãos da vítima, podendo causar dores intensas, febre, vômito e, em casos graves, tremores, alterações respiratórias, acúmulo de líquido nos pulmões - entre outros sintomas - e morte.

As unidades de saúde do SUS têm papel fundamental na conscientização sobre o tema. Pensando nisso, o PAVS CEJAM promove periodicamente ações de prevenção para a população local. “Nosso trabalho é justamente conscientizar pessoas sobre a importância de realizar o descarte correto de lixo e de alimentos, além de não acumular entulhos em quintais e áreas muito próximas a residências, com atenção especial para o acúmulo de madeiras”, explica Iara Costa Dias, agente de promoção ambiental da UBS Parque do Engenho.   

Além de palestras de conscientização, exposição de animais sinantrópicos e distribuição de materiais impressos, o PAVS também realiza a coleta de escorpiões em áreas de risco, em conjunto com agentes do Centro de Controle de Zoonoses. Na região do Portelinha, uma ocupação próxima à UBS Parque do Engenho, por exemplo, os acidentes escorpiônicos não são raros. “Apenas na primeira coleta que fizemos lá, encontramos 36 escorpiões”, comenta Iara. A ocupação é formada, principalmente, por barracões de madeira, material que atrai o animal peçonhento.


Confira mais informações sobre acidentes escorpiônicos clicando aqui.


Data de Publicação: 27/12/2018

Fonte: Bianca Ribeiro/ Assessoria de Comunicação