Seu email foi confirmado com sucesso!

Para ativar a senha de seu email, favor abrir um chamado no CAS informando a chave #.
Em alguns segundos, você será direcionado para a criação de sua assinatura digital.

X

Sua assinatura digital foi criada com sucesso!

Lhe foi enviado um email com a sua assinatura, juntamente com as instruções para a sua utilização.

Embu das Artes promove força-tarefa de combate ao Aedes no Jardim Santo Eduardo

De porta em porta orientando a população e buscando possíveis focos e criadouros do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya. Essa é rotina dos agentes de controle de zoonoses, faça chuva ou faça sol. “Somente um trabalho diário e contínuo vai garantir o controle da doença”, afirma Weluma Souza, coordenadora do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de Embu das Artes.

Na última terça-feira (29/01, as ruas do Jardim Santo Eduardo, um dos bairros mais populosos da cidade e área de atuação do CEJAM no município, começaram a ser percorridas. Maria Bernadete, moradora da rua Uberlândia, foi bastante receptiva com a equipe: “É maravilhoso esse trabalho de conscientização. Não podemos deixar que nasça o bichinho feio - se referindo ao mosquito -, tomo sempre cuidado com as minhas plantas e com tudo” – declarou.

Assim como Maria Bernadete, é importante que a população se conscientize, confie nos profissionais e deixem que os agentes façam a visita de inspeção. Uma casa infectada pode comprometer a vizinhança toda. Cerca de 80% dos criadouros estão dentro de casa ou no trabalho.

Muita gente não sabe, mas existe um reservatório atrás da geladeira que também pode acumular água. Por isso, é importante ficar de olho. Toda água parada é um possível foco para que o mosquito se reproduza. É fundamental manter a caixa d’água e a lixeira tampadas, não acumular lixo, entulho, garrafas pet, pratinhos de planta, latas etc.

Durante o verão, o mosquito se reproduz mais rapidamente e não é fácil perceber a sua picada, pois não dói, nem coça. Os sintomas da dengue, chikungunya e zika são muitos parecidos. A dengue causa dor atrás dos olhos e pode levar a um quadro hemorrágico. A chickungunya costuma apresentar dor muito intensa em músculos e articulações, e a zika, febre baixa e, em sua forma grave, gravidez com microcefalia.

Denúncias sobre possíveis focos do mosquito devem ser feitas pelo número 0800 7730 005, de segunda a sexta-feira, das 8 às 17h. A ligação é gratuita e sigilosa.


Data de Publicação: 01/02/2019

Fonte: Daniela Karin/ Secretaria de Saúde de Embu das Artes