Seu email foi confirmado com sucesso!

Para ativar a senha de seu email, favor abrir um chamado no CAS informando a chave #.
Em alguns segundos, você será direcionado para a criação de sua assinatura digital.

X

Sua assinatura digital foi criada com sucesso!

Lhe foi enviado um email com a sua assinatura, juntamente com as instruções para a sua utilização.

PAVS CEJAM realiza evento especial para catadores de material reciclável

De acordo com o Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis, apenas no Brasil há cerca de 800 mil catadores. Sem eles, até 90% de todo o lixo que produzimos não seria destinado corretamente e o meio ambiente, assim como a saúde da população e dos animais, seria gravemente prejudicado.

Apesar do número expressivo, “ainda há um cenário incontestável de invisibilidade e marginalização social desses profissionais", segundo Everton Tumilheiro Rafael, colaborador CEJAM e gestor local do Programa Ambientes Verdes e Saudáveis.

E para homenagear a profissão, essencial para a promoção da sustentabilidade no País,  o PAVS CEJAM realizou, nesta quinta-feira (14/03), um encontro especial de catadores, que contou com diversas ações voltadas para saúde, lazer, autoestima e assistência social. 

Com início pela manhã, o evento se concentrou no CEU Vila do Sol, no Jardim  ngela, e contou com a participação de mais de 50 pessoas, entre catadores e seus familiares. A abertura do encontro foi realizada por dentista do CEJAM, que orientou sobre cuidados com a saúde e higiene bucal. 

Com a colaboração de voluntários do Programa Dr. Conforto, iniciativa do Instituto de Responsabilidade Social CEJAM, os participantes foram conduzidos às atividades do encontro, que incluíram consultas médicas, odontológicas e de nutrição, atendimento de assistentes sociais, espaço beleza em parceria com a Mary Kay Brasil, sessões de massagem, corte de cabelo, entre outras. 

“Está sendo ótimo vivenciar tudo isso. Vemos a necessidade no olhar deles, sabe? E são muito educados, nos tratam muito bem. É reconfortante”, diz Maria Irismar Marinho, 44, voluntária no Programa Dr. Conforto.  

Além das atividades, foram distribuídos lanches, kits de higiene bucal, protetor solar e Equipamentos de Proteção Individual (EPI) para todos os catadores presentes no encontro. 

Os interessados também receberam orientações e puderam optar pelo cadastro no aplicativo Cataki, que foi criado para aproximar quem produz resíduos recicláveis de catadores, facilitando o processo de coleta e reciclagem. 

Aguardando por sua vez no espaço de beleza estava Maria Aparecida de Oliveira, 52, catadora há um ano. Sem escolaridade e após procurar emprego por muito tempo e não conseguir, ela resolveu mergulhar no desafio de trabalhar com coleta de materiais recicláveis. “Lembro que tomei a decisão num domingo à noite. Eu tinha apenas um carrinho de mão e decidi começar a trabalhar com ele mesmo”, comenta.

É a primeira vez que Maria Aparecida participa de um encontro junto com outros catadores. “Estou gostando demais, é muito bom ter a chance de estar aqui hoje”, comemora. 

Após fechar o bar que administrava, há cerca de 2 anos, Jorge Danta, 65, começou a trabalhar com coletas e, hoje, além de catador, também realiza carretos. Sonha em começar uma parceria com cooperativas. “Eu adoro trabalhar com isso, não troco por nada nesse mundo”, diz, convicto. 

“Esse encontro é muito importante pois valorizamos os catadores, que são invisibilizados nos territórios. Também criamos um vínculo entre eles e as UBSs, além de os aproximarmos da própria população”, comenta Francisco das Chagas Martins, colaborador CEJAM e agente de promoção ambiental na UBS Horizonte Azul. 

Francisco é um dos idealizadores do Projeto Nakarroça, implementado na UBS Jd. Nakamura para promover saúde e qualidade de vida a catadores de materiais recicláveis. Agora, o APA pretende replicar a iniciativa também na unidade em que trabalha atualmente. 

E, para encerrar o encontro com chave de ouro, psicóloga do NASF CEJAM reuniu os participantes em uma roda de conversa sobre a importância da saúde mental. Com orientações e dinâmica para diminuir o estresse, a profissional de saúde também convidou os catadores para participarem dos grupos de terapia comunitária que ocorrem mensalmente em Unidades Básicas de Saúde. 


Data de Publicação: 14/03/2019

Fonte: Bianca Ribeiro/ Assessoria de Comunicação