Seu email foi confirmado com sucesso!

Para ativar a senha de seu email, favor abrir um chamado no CAS informando a chave #.
Em alguns segundos, você será direcionado para a criação de sua assinatura digital.

X

Sua assinatura digital foi criada com sucesso!

Lhe foi enviado um email com a sua assinatura, juntamente com as instruções para a sua utilização.

Prefeito Fernando Haddad visita unidade da Rede Hora Certa M’Boi Mirim I

A realização de cirurgias de média complexidade em unidades de saúde do município terá ampliação de 183% até março de 2016. O objetivo do plano Mais Cirurgias, Menos Tempo de Espera é reduzir a fila para esse tipo de procedimento, que não demanda a internação do paciente. O foco da ação serão as cirurgias mais demandadas para crianças e idosos.

Em visita à unidade da Rede Hora Certa M’Boi Mirim I, nesta quinta-feira (15), o prefeito Fernando Haddad anunciou a abertura de mais sete hospitais-dia, que contribuirão com o plano de expansão de cirurgias. “Vamos concluir 2015 com 15 hospitais-dia em funcionamento, fora os hospitais móveis. Com essa rede instalada nós vamos triplicar o número de cirurgias na cidade. A nossa capacidade instalada permite concluir a ampliação até o ano que vem”, afirmou Haddad. Na unidade visitada, a oferta de cirurgias oftalmológicas aumentará em dez vezes.

O trabalho se concentrará em cirurgias eletivas para tratamento, por exemplo, de catarata, que passará de 16 mil procedimentos anuais para 32 mil, e de varizes, que crescerá de 3.700 para 19 mil.  Na área de pediatria [http://www.capital.sp.gov.br/portal/noticia/6111#ad-image-0], serão atendidos casos de fimose e hipospádia. Também estão previstos procedimentos para mulheres, como a histerectomia, incontinência urinária e laqueadura, e para homens, como vasectomia e próstata. Tratamentos para hérnias, hemorroidas e a colecistectomia também serão priorizados.

Atualmente a produção média mensal de cirurgias eletivas de média complexidade é de 3.306. A meta é chegar a março de 2016 com média mensal de 9.889 procedimentos. Para ampliar o atendimento, hospitais municipais e hospitais-dia receberão R$ 33,3 milhões em investimentos em equipamentos. O Hospital Municipal de M’Boi Mirim, por exemplo, terá quatro novas salas cirúrgicas. A produção também aumentará com a redução da ociosidade das salas cirúrgicas já existentes, por meio de um aditivo de custeio mensal de R$ 14,6 milhões.

“Vamos usar mais a estrutura que já existe. A primeira coisa vai ser colocar mais médicos, mais funcionários e chamar parceiros que queiram usar as salas de cirurgia que já foram construídas. A segunda coisa é equipar os hospitais-dia que já construímos para começar a funcionar”, explicou o secretário Alexandre Padilha (Saúde).

Já estão em funcionamento oito hospitais-dia, na Brasilândia, Penha, M´Boi Mirim I, M´Boi Mirim II, Itaim Paulista, Lapa, São Miguel e Ipiranga, além de duas arenas móveis para cirurgias. As sete unidades que serão inauguradas em breve estão localizadas na Vila Prudente, São Mateus, Butantã, Campo Limpo, Cidade Ademar, Vila Guilherme e Mooca. As cirurgias do plano de expansão também serão realizadas em 13 hospitais da Autarquia Hospitalar Municipal e de administração direta, cinco equipamentos administrados por organizações sociais e 19 hospitais privados ou filantrópicos contratados.

Para captar mais parceiros, foi publicada nesta quinta-feira (15) uma chamada pública para hospitais privados ou filantrópicos que queriam participar do plano de expansão. Os prestadores de serviço serão remunerados até pelo dobro do valor constante da Tabela de Procedimentos, Medicamentos, Órteses, Próteses e Materiais Especiais do Sistema Único de Saúde. No chamamento está prevista a contratação do ciclo completo de tratamento, incluindo consultas médicas, exames pré-operatórios, realização do procedimento cirúrgico e acompanhamento pós-operatório até a alta definitiva.

Cirurgias hospitalares
Entre 2012 e 2014, a Prefeitura aumentou o total de cirurgias hospitalares de 100.401 para 107.017. Este total se divide em cirurgias hospitalares de urgência (crescimento de 49.977, em 2012, para 50.730, em 2014) e cirurgias hospitalares eletivas. Estas se dividem ainda em cirurgias de alta complexidade (crescimento de 14.613, em 2012, para 16.612, em 2014) e cirurgias de média complexidade (de 35.811, em 2012, para 39.675, em 2014).

Foto: Comunicação da CRSSUL


Data de Publicação: 20/10/2015

Fonte: Secretaria Executiva de Comunicação