Unidades de Saúde de Poá terão atendimento de Saúde Mental

Poá iniciou um trabalho para acelerar o atendimento de casos considerados leves na Saúde Mental. Agora, todas as unidades de saúde (UBS e USF) contarão com equipes de referência, com assistentes sociais, psicólogos, enfermeiros e médicos, que definirão a conduta (internação ou ambulatório) e os encaminhamentos, diminuindo assim o tempo de espera pelo tratamento.

Na manhã de hoje (20) foi realizada uma oficina com profissionais da Rede de Atenção Básica, na Praça de Eventos, que contou com a participação de pessoas de diferentes áreas, entre elas higiene, administração, enfermagem, médica.

“O processo de Saúde Mental em Poá está sendo descentralizado. Hoje o atendimento acontece especificamente no Ambulatório. No entanto, pacientes leves poderão ser atendidos nas unidades de saúde e os graves no ambulatório. Então estamos preparando a equipe para receber os pacientes. Basicamente esta oficina hoje é para falar desta chegada”, explicou a diretora de Atenção Básica de Saúde, Rose da Cruz Barbosa. O secretário de Cultura, Mário Sumirê, representando o prefeito Gian Lopes, também acompanhou a atividade.

Alto Tietê
Poá iniciou em fevereiro os trabalhos para descentralizar o atendimento, no entanto o assunto começa a ser tratado em todo o Alto Tietê. Durante a oficina realizada na Praça de Eventos, foi apresentado o Projeto de Estruturação e Qualificação dos Arranjos de Apoio Matricial na Rede de Atenção Psicossocial: Saúde Mental na Atenção Básica, que é coordenado pela Secretaria de Estado da Saúde.

O objetivo geral do projeto é diagnosticar os arranjos e metodologias de apoio matricial em Saúde Mental na Atenção Básica em cada município do Alto Tietê e construir um plano de ação de educação permanente que considera as singularidades locais e promova a estruturação e qualificação do apoio matricial com base nos princípios da Reforma Psiquiátrica Antimanicomial.


Data de Publicação: 20/09/2017

Fonte: Imprensa Poá