CEJAM na Mídia: Odontologia Intensiva do Hospital Municipal Evandro Freire completa dois anos

O projeto de Odontologia Intensiva do Hospital Municipal Evandro Freire, na Ilha, está completando dois anos. É o primeiro e único projeto na rede pública de saúde carioca. Ele oferece atendimento odontológico ao pacientes internados no CTI da unidade, que, como se sabe, não têm condições de cuidar da própria higiene bucal.

Com isso, o serviço oferecido previne, entre outras doenças, a endocardite infecciosa, uma infecção no músculo do coração através de corrente sanguínea. A equipe tem cinco profissionais. De 2014 para cá, mais de 150 mil pessoas, segundo o CEJAM, OS que administra a unidade, passaram pelo CTI do hospital e foram beneficiadas pelo projeto.

De acordo com a direção do Hospital Evandro Freire, a unidade""decidiu investir em odontologia intensiva porque este tipo de serviço no CTI melhora a qualidade de vida do paciente internado, diminuindo o contágio de infecções orais (provenientes da boca e dos dentes) e reduzindo os casos de pneumonia associada à ventilação mecânica, conhecida como PAV, já que esses recebem um pulmão artificial e ficam suscetíveis a bactérias oriundas da placa bacteriana"".

Aliás, o hospital, segundo o CEJAM, não tem registro de PAV precoce.

O Evandro Freire é a unica unidade da rede com esse tipo de serviço. A Secretaria Municipal de Saúde do Rio, por meio de sua assessoria de comunicação, conta que""normalmente, nas outras unidades de emergência, quando o paciente da UTI apresenta necessidade de assistência odontológica, ela é prestada pelo cirurgião bucomaxilofacial da unidade, que é uma especialidade de odontologia""


Data de Publicação: 02/05/2016

Fonte: Jornal O Globo