Seu email foi confirmado com sucesso!

Para ativar a senha de seu email, favor abrir um chamado no CAS informando a chave #.
Em alguns segundos, você será direcionado para a criação de sua assinatura digital.

X

Sua assinatura digital foi criada com sucesso!

Lhe foi enviado um email com a sua assinatura, juntamente com as instruções para a sua utilização.

Tenda de atendimento a pacientes com suspeita de dengue de Cidade Ademar já atendeu mais de 2.300 pessoas

Instalada desde o dia 13 de abril dentro da subprefeitura de Cidade Ademar, a tenda de atendimento aos pacientes com suspeita de dengue tem o objetivo de desafogar as unidades de saúde com maior incidência da dengue.

Os dados consolidados da tenda (administrada em parceria com o CEJAM- Centro de Estudos e Pesquisas Dr. João Amorim) apontam que até o dia 12 de maio, o equipamento já atendeu 2.367 pessoas, média de 100 pacientes por dia. A demanda maior é por clínico. Dos 2.367 atendimentos realizados, 2 mil foram desta especialidade e os outros 367 de pediatria.

O equipamento conta com três médicos (dois clínicos e um pediatra), três consultórios, 20 cadeiras de hidratação e 4 leitos e possui capacidade de atender até 200 pessoas por dia. A unidade funciona de segunda-feira a sábado, das 8h às 18h.

Em todos os casos, os munícipes devem primeiro procurar a unidade de saúde de sua região. Aqueles que, depois de uma triagem inicial, apresentam suspeita de dengue são encaminhados para as tendas, onde recebem atendimento, orientação e tratamento específico.

Na tenda de Cidade Ademar, assim que o paciente chega, ele pega senha, é chamado pela recepção para fazer abertura de ficha, depois passa por acolhimento, aferição de Pressão Arterial, coleta amostra de sangue para o hemograma e depois que o resultado sai, o paciente é atendido pelos médicos que atendem no local. Os casos mais graves são removidos de ambulância para os hospitais de referência do território.

A tenda, assim como as demais da cidade, possui uma máquina de teste rápido de sangue. O equipamento possibilita a contagem de plaquetas para a identificação de eventuais agravamentos e potenciais evoluções para dengue hemorrágica.

A Coordenadora de Saúde Sul, Tania Zogbi Sahyoun explica que as tendas funcionam como retaguarda para as unidades de saúde. “A tenda tem duas funções muito claras: dar soro aos pacientes com suspeita da doença, uma vez que a hidratação é uma das medidas de tratamento da dengue e fazer o teste de sangue para avaliar e monitorar a gravidade do estado de saúde do paciente”.

A senhora Maria Inez Silva (53), mãe da adolescente Ana Carolina Keller (16), estiveram no AMA Jardim Miriam 2 de onde foram indicadas para ir a Tenda da Subprefeitura de Cidade Ademar pois a jovem apresentava os sintomas da Dengue ela comenta que chegou por volta das 9h15 da manhã e as 11h30 já havia feito os exames e tomado toda a medicação, “estou feliz porque o atendimento foi excelente e na segunda feira (18) devo voltar com ela para o acompanhamento, eu só tenho a elogiar tudo, saiu com ela se sentindo bem melhor” comenta dona Maria Inez, que chegou com a filha com febre alta, dor no corpo, nas vistas e com tose.

O Subprefeito da Cidade Ademar Francisco Lo Prete, fez mudanças em suas salas assim como em um dos auditórios para melhor adequar o atendimento da população, que no lugar da tenda como em outras subprefeituras, lá a pessoa conta com um maior espaço podendo estar com um acompanhante. Outro diferencial é que a subprefeitura disponibilizou uma Kombi que auxilia na busca do paciente na unidade de saúde que pede socorro, além do apoio do SAMU que tem um posto na área da subprefeitura, onde os pacientes que tiverem que ir para o hospital Pedreira tenham com facilidade a remoção. ”A pessoa já chega com problema temos que dar o melhor para a população” concluiu Lo Prete.

Combate ao mosquito

A dengue está mais associada às altas temperaturas e à água limpa do que simplesmente à chuva, porque qualquer pequena concentração de água, desde uma tampinha de garrafa a um prato de vaso pode ser um criadouro. A Coordenação de Vigilância em Saúde (Covisa) considera que o aumento dos casos neste ano está associado ao calor, que acelera o desenvolvimento do mosquito, e ao acúmulo de água limpa sem proteção, devido à crise de abastecimento dos últimos meses. Logo, a prevenção é a melhor saída.

As tendas estão programadas para ficarem nas subprefeituras até o dia 23, porém, a possibilidade se necessário é do prazo ser prorrogado até baixar toda a demanda.


Data de Publicação: 22/05/2015

Fonte: http://cidadeademaremnoticias.com.br/