Aguarde...

Portal da Transparência COVID-19 - Clique aqui e confira

Saúde

Saúde

18 de Agosto de 2021

Agosto Dourado: rede de apoio é essencial para o sucesso do aleitamento materno

A amamentação é um dos principais laços da relação entre mãe e filho. O leite materno, inclusive, é considerado um alimento de ouro, pois atende todas as necessidades do bebê nos primeiros seis meses de vida. No entanto, o ato de amamentar, muitas vezes, não é algo simples para as mamães, podendo ser dificultado pela falta de informações corretas e de uma rede de apoio.

De acordo com pesquisa intitulada “Prevalência do desmame precoce e suas principais causas”, publicada no Brazilian Journal of health Review, as razões, associadas ao desmame, mais citadas pelas mulheres são: o trabalho, a inserção de outros tipos de alimento para o bebê e a falta de leite suficiente para saciar a criança, sendo a última o fator predominante.

De acordo com Maise August de Faria Martins, enfermeira supervisora do Programa Parto Seguro à Mãe Paulistana, gerenciado pelo CEJAM, em parceria com a Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo, uma das principais causas da baixa produção de leite está na chamada “pega incorreta”, ou seja, na maneira como o bebê mama.

Segundo ela, a prolactina e a ocitocina - hormônios responsáveis, respectivamente, pela produção e ejeção do leite - são estimuladas por meio da sucção. Dessa forma, quanto mais a criança sugar, mais leite a mãe produzirá. Nesse caso, o ideal é encontrar um ambiente tranquilo, posição confortável para ambos e observar se o bebê está abocanhando toda a aréola.

Outro fator relevante acontece quando o bebê não consegue esvaziar as mamas, gerando uma redução na produção de leite devido à proteína FIL (fator inibidor da lactação) presente no alimento. “Casos mais raros como problemas anatômicos também podem causar baixa produção de leite”, completa.

A profissional ressalta que, em caso de dificuldades, a mãe deve buscar ajuda profissional para receber orientações adequadas.

Rede de Apoio

O programa Parto Seguro, por exemplo, realiza treinamentos de “Sensibilização ao Aleitamento Materno”. Até o início de julho deste ano, quase 500 profissionais, que atuam em serviços gerenciados pelo CEJAM, foram capacitados sobre o assunto.

A rede de apoio entre pai, familiares e amigos também é essencial para o sucesso do aleitamento. Além do incentivo, realizar tarefas domésticas e compartilhar informações seguras são maneiras de ajudar a evitar o desmame precoce.

O mito do “leite fraco”

Não é incomum que as mães se questionem sobre o fato de o leite materno ser suficiente para alimentar o bebê. Maise explica que, muitas vezes, isso acontece devido ao choro excessivo e a frequência de mamadas.

“O choro é um meio de comunicação, pode acontecer por vários motivos: fome, fralda suja, cólica, tédio, desconforto geral, muito frio ou calor. Em relação à frequência, o leite materno é de fácil digestão e a capacidade gástrica do bebê é reduzida, por isso a necessidade de mamar toda hora”, afirma.

Assim, é importante reforçar que a amamentação deve ser sob livre demanda, isso significa que não existe uma hora certa, pode ser quando o bebê quiser ou quando a mãe sentir os seios muito cheios e/ou doloridos.

Fórmulas infantis e outros alimentos

A Norma Brasileira de Comercialização de Alimentos para Lactentes e Crianças de Primeira Infância, Bicos, Chupetas e Mamadeiras (NBCAL), é um importante documento para regulamentar comerciais e a rotulagem desses produtos.

O objetivo é assegurar que a amamentação não seja desestimulada e que os substitutos do leite materno sejam utilizados apenas com prescrição médica, como no caso de mães HIV positivas e em tratamento de câncer. Nessas situações, é importante que o produto corresponda à idade da criança.

Após o sexto mês, outros alimentos devem ser inseridos na dieta do bebê, priorizando frutas, legumes e verduras e evitando produtos industrializados, ricos em sódio e gorduras.

Proteção vem do peito!

Fonte: Imprensa, Criação & Marketing

Agosto Dourado Amamentação Parto Seguro

Compartilhe essa notícia

SEDE CEJAM

Rua Dr. Lund,41, Liberdade, São Paulo, 01513-020
(11) 3469 - 1818

IRS Dr. Fernando Proença de Gouvêa

Rua Dr. Lund, 41, Liberdade, São Paulo, 01513-020
(11) 3469 - 1818

Prevenir é viver com qualidade!