Aguarde...

Portal da Transparência COVID-19 - Clique aqui e confira

Saúde

Saúde

02 de Junho de 2023

Identificação correta do paciente: por que esse passo é tão importante para um atendimento seguro?

Quando o assunto é redução de riscos durante a assistência, as seis Metas Internacionais de Segurança do Paciente, estabelecidas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em parceria com a Joint Commission International (JCI), em 2006, são referência para nortear as estratégias aplicadas pelas instituições de saúde.

“As metas de segurança qualificam a assistência à saúde, promovendo um ambiente seguro ao paciente e profissional, através de barreiras de riscos, análise de cenário e processos de melhorias que garantem uma jornada segura em todas as esferas da assistência", destaca Bruna Marçal, enfermeira e líder de gerenciamento de risco da UBS Jardim Lídia, administrada pelo CEJAM em parceria com a Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo.

Cada meta apresenta um ponto de atenção e indica ações para combater possíveis problemas. Conforme explica a profissional, a primeira delas trata-se da “identificação correta do paciente”, e é fundamental para minimizar falhas e assegurar que todas as etapas do atendimento serão seguidas de forma correta.

Para compreender a importância dessa meta, imagine dois pacientes com nome e sobrenome iguais, mas prescrições de tratamento completamente diferentes. Nesse caso, para evitar erros nos procedimentos a serem realizados, no CEJAM a meta 1 estabelece, no mínimo, dois descritores de identificação que devem ser confirmados por todos os profissionais (assistenciais e administrativos) a cada fase de atendimento.

Nesse sentido, Bruna ressalta que na UBS Jardim Lídia diversas checagens são realizadas, como a confirmação dos identificadores do paciente (nome completo e data de nascimento), apresentação de documento com foto, etiqueta de identificação fornecida ao paciente já na recepção, leitos com identificação e etiquetas personalizadas para os pacientes removidos em ambulância.

Segundo a profissional, mensalmente, as metas são trabalhadas e os colaboradores são capacitados sobre os protocolos de qualidade e segurança. De acordo com ela, essa também é uma forma de mantê-los confortáveis para atuarem com qualidade. “Nenhuma barreira é efetiva se a equipe não se comprometer em executá-la. Por isso, trabalhamos com ações de aperfeiçoamento constantes sobre as medidas de segurança do paciente.”

Outro ponto enfatizado por Bruna é a integração do paciente nessa missão, orientando os usuários sobre as metas e esclarecendo como elas são trabalhadas na unidade.

“Ao se trabalhar com a gestão da qualidade proporcionamos ao nosso usuário uma jornada humanizada, respeitosa, efetiva e segura, que garantirá uma experiência de valor e qualidade de vida”, finaliza.

Fonte: Comunicação, Marketing e Relacionamento

UBS Jardim Lídia Segurança do paciente

Compartilhe essa notícia

SEDE CEJAM

Rua Dr. Lund,41, Liberdade, São Paulo, 01513-020
(11) 3469 - 1818

INSTITUTO CEJAM

Rua Dr. Lund, 41, Liberdade, São Paulo, 01513-020
(11) 3469 - 1818

Prevenir é viver com qualidade!