Aguarde...

Saúde

Saúde

03 de Janeiro de 2020

Janeiro Roxo | Não deixe essa mancha apagar a sua história

A hanseníase é uma doença infecciosa que existe desde tempos remotos, sendo mencionada, inclusive, em histórias bíblicas - com o nome de lepra. Mas, apesar de antiga, a doença é transmitida até hoje. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil é o segundo país que mais registra casos de hanseníase no mundo, perdendo apenas para a Índia. 

Causada por uma bactéria chamada Mycobacterium leprae, ela atinge principalmente braços, mãos, pernas, pés, rosto e orelhas, ocasionando manchas esbranquiçadas, amarronzadas ou avermelhadas na pele, e podendo causar incapacidades físicas permanentes, por meio do comprometimento de nervos periféricos, com perda ou alteração de sensibilidade e de força muscular. Os sintomas costumam demorar entre dois e cinco anos para surgirem após o contágio.

Por essa razão, a campanha Janeiro Roxo, promovida nacionalmente desde 2016, quando foi instituida pelo Ministério da Saúde, tem como objetivo conscientizar a população a respeito da importância do diagnóstico precoce e tratamento da doença. 

 

A hanseníase em números 

2º lugar é a posição mundial do Brasil em número de casos da doença

200 mil novos casos registrados por ano no mundo

28.660 novos casos no Brasil em 2018

90% é a porcentagem de casos nas Américas concentrados no Brasil 

 

Sintomas

  • Manchas avermelhadas, amarronzadas ou esbranquiçadas na pele
  • Diminuição da força dos músculos das mãos, pés e face
  • Alteração de sensibilidade na pele
  • Sensação de formigamento
  • Queda de pelos e cabelos
  • Dor e sensação de choque
  • Pele seca e falta de suor
  • Febre, edemas e dor nas juntas
  • Entre outros

 

Transmissão, diagnóstico e tratamento

O contágio da hanseníase não é feito de forma hereditária, como se costumava pensar nos tempos das histórias bíblicas. A transmissão da doença é feita exclusivamente por pessoas contagiadas, sem tratamento*, através de tosse, espirro e fala

O diagnóstico da hanseníase é feito apenas por exames clínicos, não sendo indicada, em hipótese alguma, a automedicação. O tratamento da doença está disponível gratuitamente pelo SUS, podendo durar de 6 meses a 2 anos. 

Se você apresenta algum dos sintomas acima, compareça à unidade de saúde mais próxima para atendimento médico.

 

*Pessoas em tratamento hanseníaco não transmitem a doença. 

Fonte: Sociedade Brasileira de Hansenologia/ Ministério da Saúde/ Organização Mundial da Saúde

Fonte: Imprensa, Comunicação & Marketing

Janeiro Roxo Hanseníase Institucional

Compartilhe essa notícia

SEDE CEJAM

Rua Dr. Lund,41, Liberdade, São Paulo, 01513-020
(11) 3469 - 1818

INSTITUTO DE RESPONSABILIDADE SOCIAL

Rua Dr. Lund, 41, Liberdade, São Paulo, 01513-020
(11) 3469 - 1818

Prevenir é viver com qualidade!

Prevenir é viver com qualidade!