Aguarde...

Portal da Transparência COVID-19 - Clique aqui e confira

Saúde

Saúde

01 de Julho de 2020

Julho Amarelo reforça a importância da prevenção contra as hepatites virais

O Julho Amarelo é o mês de luta contra as hepatites virais e tem como intuito conscientizar a população sobre a importância da prevenção. A hepatite é uma inflamação no fígado provocada, na maioria das vezes, por vírus, mas também pode ser ocasionada pelo uso de alguns remédios, álcool e outras drogas, bem como por doenças autoimunes, metabólicas e genéticas.

Transmissão:

Hepatite A: Fecal-oral, por contato entre indivíduos ou por meio de água e alimentos contaminados pelo vírus.

Hepatite B: É considerada uma IST (Infecção Sexualmente Transmissível). O vírus está presente no sangue, na saliva, no sêmen e nas secreções vaginais da pessoa infectada.

Hepatite B, C e D (Delta): Por contato com sangue infectado, compartilhamento de seringas, agulhas, lâminas de barbear, alicates de unha e outros objetos que furam ou cortam, sexo sem proteção com uma pessoa infectada. A transmissão também pode ocorrer de maneira vertical: de mãe para filho durante a gravidez, o parto e amamentação.

Hepatite E: A modalidade é rara no Brasil e mais comum na Ásia e na África. Sua transmissão é fecal-oral, por contato entre indivíduos ou por meio de água ou alimentos contaminados pelo vírus. Ainda não existe vacina contra a hepatite E.

Hepatite alcoólica: Causada pelo consumo excessivo de álcool durante muitos anos. Geralmente não provoca nenhum sintoma até atingir graus mais severos. Parar de beber em excesso permite que o órgão eventualmente se recupere.

Hepatite autoimune: O sistema imune no paciente com hepatite autoimune reconhece os hepatócitos (células hepáticas) como estranhos e os ataca, provocando inflamação crônica, desenvolvimento de fibrose hepática (cicatrizes no fígado) e cirrose. O tratamento envolve a administração de imunossupressores.

Sintomas mais comuns da hepatite A, B, C e D:

- Dor ou inchaço abdominal
- Fadiga
- Náusea e vômitos
- Perda de apetite
- Febre
- Urina escura
- Fezes claras
- Amarelamento da pele e olhos
- Coceira (Hepatite C)
- Sangramento no esôfago ou no estômago (Hepatite C)

Prevenção:

Hepatite A: Vacina disponível gratuitamente no SUS para crianças entre 15 meses e 4 anos de idade de acordo com a situação vacinal (aplicação nas unidades básicas) e para pessoas que tenham prática sexual com contato oral-anal, prioritariamente homens que fazem sexo com homens (HSH) - homossexuais e bissexuais - além de travestis, mulheres trans, etc., que devem procurar os serviços de referência para a aplicação.

Hepatite B: Vacina disponível gratuitamente no SUS. Em crianças, é dada em quatro doses: ao nascer, 2,4 e 6 meses. Para os adultos que não se vacinaram na infância, são três doses a depender da situação vacina.

Hepatite C: Ainda não há vacina. A prevenção pode ser feita evitando o contato com sangue contaminado, sexo desprotegido e compartilhamento de objetos cortantes.

Hepatite D: Quem se vacina para o tipo B, se protege para a hepatite D.

Testes Rápidos – Os testes rápidos para os tipos B e C estão disponíveis nos serviços públicos de saúde para todas as pessoas.

Fonte: Imprensa, Comunicação & Marketing

Julho Amarelo Hepatites virais

Compartilhe essa notícia

SEDE CEJAM

Rua Dr. Lund,41, Liberdade, São Paulo, 01513-020
(11) 3469 - 1818

INSTITUTO DE RESPONSABILIDADE SOCIAL

Rua Dr. Lund, 41, Liberdade, São Paulo, 01513-020
(11) 3469 - 1818

Prevenir é viver com qualidade!

Prevenir é viver com qualidade!