Aguarde...

Radar CEJAM

Radar CEJAM

23 de Julho de 2019

Prefeitura de São Paulo convoca a cidade para enfrentar o sarampo

A Prefeitura de São Paulo incentiva a mobilização da população e organizações da cidade para a campanha de vacinação contra o sarampo. Segundo autoridades de saúde, a capital paulista precisa vacinar todas as pessoas com idade entre 15 e 29 anos para barrar com eficiência o avanço da doença, uma população estimada em 2,9 milhões. Para imunizar essa população, não basta o empenho dos profissionais de saúde: toda a sociedade precisa se mobilizar contra a doença, que pode ter sérias complicações respiratórias e neurológicas e até mesmo levar à morte.

Este é o ponto central da entrevista concedida na última segunda-feira (22) pelo prefeito da cidade de São Paulo, Bruno Covas, e o Secretário Municipal da Saúde, Edson Aparecido, sobre ação e combate ao sarampo. A vacina é segura e eficaz contra a doença.

“Temos 363 casos de sarampo. E esse recrudescimento da doença vem em decorrência especialmente do fato de as pessoas terem decidido não tomar vacina e isso se deve em grande parte às fake news que vem se espalhando pela internet”, comentou o prefeito. “Esse número crescente leva o poder público a ter ações conjuntas com as mais variadas esferas de poder. Esse não é um problema da Prefeitura, é um problema de saúde pública, por isso, envolvemos outros agentes públicos para que o percentual de vacinação seja efetivo”, acrescentou Covas.

O avanço da doença é um fenômeno global. A Organização Mundial de Saúde (OMS) identificou surtos de sarampo em 170 países desde 2017. Este ano, o número de casos da doença cresceu no mundo todo, registrando um aumento de 300% em comparação a 2018. A cidade de Nova Iorque, por exemplo, entrou em alerta em decorrência da doença.

Em 2018, na campanha nacional de vacinação específica para crianças de 1 a 4 anos, a cidade de São Paulo ultrapassou a meta de vacinação de 95%, garantindo uma forte barreira contra o sarampo, com 567.824 doses aplicadas. Em 2019, um número maior do que totalidade das crianças nascidas no município tomaram a dose indicada com 1 ano de idade.

Os primeiros casos na cidade de São Paulo surgiram a partir de fevereiro, importados da Noruega, Malta e Israel. Desde então, a COVISA já promoveu 1.185 ações de bloqueio vacinal com aplicação de 48.655 doses de vacina em ações seletivas nos locais por onde as pessoas com suspeita de sarampo circularam. Hoje, o município tem 363 casos confirmados.

Uma pessoa com sarampo pode contaminar outras 18, o que exige uma investigação minuciosa de cada caso de suspeita da doença. Por isso, os bloqueios do vírus, com vacinação porta a porta, ocorrem na vizinhança da residência, locais de trabalho, estudo e espaços onde o paciente transitou no período de transmissão da doença.

No sábado, 20 de junho, durante o segundo Dia D de Mobilização Contra o Sarampo, 57.034 pessoas foram vacinadas em São Paulo. A campanha começou em 10 de junho e, desde então, 207.696 doses da vacina tríplice viral foram aplicadas.

A prefeitura incentiva que as pessoas e organizações da cidade se envolvam diretamente no enfrentamento ao sarampo. Participar não é apenas ter a idade certa e se vacinar; é preciso também alertar amigos e parentes sobre o problema para que se convençam a tomar a vacina.

As empresas e organizações podem ter uma participação muito relevante ao estimular funcionários e colaboradores à vacinação. Podem, também, abrir as portas para a campanha. 

A SMS promoveu uma reunião no dia 24 de junho para buscar parceria com 20 universidades visando ampliar as ações de vacinação, e já promoveu capacitação de 900 profissionais no manejo clínico específico do sarampo que abrange desde a identificação dos sintomas, orientações para diagnóstico e tratamento da doença. Estes profissionais voltaram para suas unidades e agem como multiplicadores dessas práticas e ações.

No último dia 10 de julho, a vacinação passou a ser indicada para todas as pessoas de 15 a 29 anos, independentemente de já terem sido vacinadas. A campanha deve se estender até 16 de agosto.

 

Ações de enfrentamento ao Sarampo

• 2018 - A cidade de São Paulo ultrapassou a meta de vacinação de 96% das crianças de 1 a 4 anos com 567.824 doses aplicadas.

• Em 2019 mais da totalidade das crianças nascidas no município tomaram a dose indicada com 1 ano de idade.

• 1.185 bloqueios seletivos com 48.655 doses de vacina aplicadas em casas, prédios, escolas, trabalho e nos locais de convivo de pessoas que se contaminaram com a doença.

• 10/6 - início da campanha para o Público de 15 a 29 anos que não tomaram a 2ª dose indicada pelo Ministério da Saúde.

• 24/6 - SMS promove reunião com 20 instituições de ensino superior da capital para desenvolver e planejar ações de vacinação.

• 29/06 - 1º Dia D com intensificação de vacinação da população de 15 a 29 anos com mais de 27 mil vacinas foram aplicadas.

• 10/7 - Ampliação da vacinação para todas as pessoas entre 15 e 29 anos mesmo com a vacina em dia.

• 18/07 - Capacitação de profissionais da saúde no manejo clínico específico do sarampo.

• 20/07 - 2º Dia D de intensificação da vacinação da população de 15 a 29 anos, mais de 57 mil vacinas foram aplicadas.

• 207 mil doses de vacina foram aplicadas na campanha desde o dia 10 de junho.

Fonte: Secretaria Municipal da Saúde/Prefeitura de São Paulo

Sarampo Vacinação São Paulo

Compartilhe essa notícia

SEDE CEJAM

Rua Dr. Lund,41, Liberdade, São Paulo, 01513-020
(11) 3469 - 1818

ESCOLA DE SAÚDE

Rua Humaitá, 349 - Sobreloja, Bela Vista, São Paulo, 01321-020
(11) 3107 - 8197

INSTITUTO DE RESPONSABILIDADE SOCIAL

Rua Dr. Lund, 41, Liberdade, São Paulo, 01513-020
(11) 3469 - 1818

Prevenir é viver com qualidade!